quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Colaboração com novo blogue sobre depósitos a prazo

Estamos a colaborar com um novo blogue especializado em depósitos a prazo, precisamente o "Melhores Depósitos a Prazo". Convidamos desde quem por aqui passe a visitar este novo projeto que apresenta várias páginas especializadas sobre depósitos a prazo e melhores taxas de juro, sobre a oferta específica de cada instituição financeira mas também sobre informação de referência particularmente útil para quem quer investir em produtos de baixo risco.
Eis alguns exemplos de artigos recentes:



segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O melhor depósito a prazo oferece 4% (Novembro de 2010)

Se o prazo não é problema, se a aversão ao risco é elevada, a melhor aplicação a prazo do momento talvez seja mesmo os Certificados do Tesouro admitindo que os mantenha até à maturidade, ou seja, durante 10 anos.
Mas se o seu horizonte não é tão longo, talvez valha a pena considerar os depósitos a prazo.
Entre estes, salvo algum depósito promocional para novos clientes, tipicamente de curta duração e não renovável, a melhor taxa disponível é de 4%, TANB. Onde e em que condições está disponível?
Sem ser exaustivo encontrei os seguintes exemplos que não exigem novos capitais ou não se aplicam exclusivamente a novos clientes:
  • ActivoBank, Depósitos Poupança Extra, a 1 ano, a partir dos 3.000€ com um máximo de 30.000€ (ver detalhes na FIN);
  • ActivoBank, Depósito Poupança StarT, a 1 ano, a partir dos 3.000€ com um máximo de 30.000€ (ver detalhes na FIN);
  • Banif, Crescente 4 anos, a 4 anos, taxa crescente, a partir de 500€ sem limite máximo (ver detalhes na FIN);
Descendo um pouco a fasquia a oferta alarga-se substancialmente. O trabalho feito pelos nossos vizinhos do Economia & Finanças na sua página de Depósitos a Prazo pode dar-lhe uma preciosa ajuda:"Depósitos a Prazo".

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Qual a melhor taxa de juro num depósito a 6 meses?

A resposta directa e inequívoca à pergunta formulada no título é: depende.
Depende desde logo se está disponível para aplicar as suas poupanças num banco letão (veja o artigo anterior: Taxas de Juro de 4% em depósitos captados pelo Privat Bank).
Se estiver a solução é fácil, a partir dos 500€ é de longe a melhor oferta: 4% de TANB com perda total de juro caro desmobilize nem que seja um euro ou 3,8% de TANB com penalização dos juros relativos ao capital desmobilizado.
Se prefere não ter de imaginar o seu dinheiro no Báltico mas guardado num cofre ao pé de casa... er... não será bem assim, mas enfim... a melhor resposta à pergunta do título passa a ser: depende. Sim, depende mesmo de muita coisa, do número de euros que tem para depositar, por exemplo.
A partir dos 500€ a melhor oferta é do Big Online com 2% de TANB e penalização de 50% dos juros (este penalização de 50% desempata face a outros depósitos que também pagam 2% mas que penalizção eventuais desmobilizações a 100%).
Se conseguir arregimentar 2500 soldados para a poupança aí o Banif com o Super Depósito oferece marginalmente mais: 2,1% de TANB.
Se o seu exército de poupados euros chegar aos 5 dígitos, a partir dos 10000€ tem o DP Crescente do BPN que paga 2,5% de TANB. Se for um verdadeira general da poupança e tiver 60000€, então a solução será o 6 Meses TOP II, de novo do BIG Online.
Como vê, depende. Nestes casos referidos estamos na presença de depósitos que não exigem capitais novos colocados no banco porque se porventura estiver disponível para abrir uma nova conta num banco de que não é cliente ou apresentar no seu banco de sempre um reforço de capital para poupar, o leque de opção será outro.
Nesse caso, a partir de 2500€ tem a Caixa Galícia a acenar com uma remuneração de 2,5% TANB ou então, o Banco Finantia com uma taxa de 3,5% TANB desde que apresente um reforço de recurso junto do banco de pelo menos 50000€.
EM suma, como disse: depende, mas uma coisa é certa, o mercado está aos poucos a subir as taxas de remuneração dos depósitos a prazo continuando os depósitos na banca online a destacar-se claramente no conjunto da oferta disponível.
A informação usada como base para este artigo foi recolhida entre 21 e 25 de Julho e, naturalmente, poderá conter incorrecções pelo que não está dispensado de pesquisara mais e de se informar junto das instituições financeiras. Deixamos algumas pistas, não mais.
É poupar! Fiquem bem.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Taxas de Juro de 4% em depósitos captados pelo Privat Bank

Passámos há pouco pelo Economia & Finanças e vimos por lá uma peça sobre um banco que andamos há muito tempo para abordar por aqui. Trata-se do AS "PrivatBank". Uma instituição do báltico que tem procurado captar activos a taxas mais favoráveis em Portugal.
Face ao custo do dinheiro a nível local (na Letónia), oferecer 4% a seis meses ou ao ano é um negócio apetecível para quem pede os depósitos e para quem os constitui.
Haverá algumas reservas associadas ao facto de se tratar de uma sucursal de um país distante mas talvez o risco compense, até porque, a instituição está a operar com a autorização do Banco de Portugal (e inscrita no Fundo de Garantia de Depósitos) que se revela co-solidário juntamente com as autoridades letãs por garantir nos termos aplicáveis em Portugal os referidos depósitos ainda que com as nuances claramente indicadas de forma transparente pelo PrivatBank.
Enfim, o nome também não será o mais feliz face à nossa história recente, ainda assim é apenas uma triste coincidência.
Moral da história que convém reter: não há aplicações financeiras sem risco.

domingo, 7 de março de 2010

Caixa Geral de Depósitos baixa taxas de juro

Se antes era preciso uma lupa para ver as taxas de juro que a Caixa Geral de Depósitos usava para remunerar muitos dos seus depósitos a prazo, agora teremos de recorrer ao microscópio.
O mesmo banco que "conseguiu" permanecer insensível durante largos meses (não terá sido mesmo mais de um ano) aos sucessivos aumentos da euribor, tendo cristalizado a sua tabela de referência para remunerações de depósitos a prazo, vem agora informar por carta que devido à descida da euribor terá de actualizar, a contar de 1 de Abril, as taxas de juro dos depósitos a prazo "CGD baixa juros dos depósitos".
Quase todos os restantes bancos a operar em Portugal conseguem oferecer melhor remuneração. É espreitar nos artigos que aqui publicámos e nos que se seguem. É o caso, por exemplo, do BPN, um Banco detido pela CGD...

domingo, 10 de janeiro de 2010

"Comece o ano em grande" é a nova proposta do Barclays

Como seria de esperar este início de ano fica marcado pela manutenção do dinamismo na captação de aforro por parte das instituições financeiras.
O Barclays com o "Comece o ano em grande" vai à luta com uma oferta que é um mix de depósito a prazo promocional para captar novos clientes/capitais e de depósito a prazo indexado à euribor a 6 meses.
Basicamente, com 1000€ para aplicar de novos recursos que se façam chegar ao banco (máximo de 100 mil euros), poderá efectuar um depósito a prazo a 6 meses com uma TANB de 4% (TAEL de 3,2%) renovando-se o depósito automaticamente nos semestres seguintes até ordem em contrário, mas nesses casos, pagando a euribor a 6 meses em vigor no 2 dia útil anterior ao início do mês em que é realizado o depósito. Pode desmobilizar o depósito quando entender perdendo os juros relativos ao capital levantando que ainda não tenha sido pagos.
Para melhor referência e comparação com outras ofertas recomendamos que consulte a ficha de informação normalizada.
Parece-nos uma boa proposta para quem queira aplicar as suas poupanças durante 6 meses. A oferta subsequente, podendo não ser a de topo é, ainda assim, razoável ultrapassando alguma concorrência mais conservadora que não anda muito preocupada em captar novos clientes.
Bom 2010! Contamos regressar com novidades em breve. Bons negócios.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Analise ao Taxa Crescente do Millenium BCP

Exige 2500 € de capital mínimo, confere pagamento de juros semestrais, tem como prazo global 1080 dias (3 anos) e tem uma TANB média de 2,958%.

Consultando a ficha de informação normalizada constata-se que permite a mobilização antecipada em qualquer momento com perda total dos juros ainda não entregues ao cliente, permitindo como opção proceder-se à capitalização dos juros semestrais.

Comparando com o Depósito Rendimento 3X do Big Online, um depósito para o prazo global, mesmo capital mínimo, com pagamento anual de juros é difícil escolher. O nosso vizinho Economia & Finanças identificou os seguintes pontos positivos e negativos:

Positivos:

  • A TANB do depósito do BCP é superior à do Big no 1º e no 2º ano, apenas no 3º ano o depósito do Big ganha vantagem registando uma TANB média superior no conjunto dos 3 anos à custa dos 4,5% que remunera no 3º ano (contra 4% do BCP);
  • O facto de efectuar pagamentos semestrais de juros e não anuais permite aceder a alguma liquidez com vantagem sobre a oferta do Banco Big.

Negativos:

  • O Taxa Crescente do BCP tem uma TANB média inferior (2,958% contra 3,08%);
  • Leva à perda total dos juros do semestre em que ocorra uma mobilização antecipada quando no caso do Depósito Rendimento 3X há lugar à perda de metade dos juros (atendendo à diferença no prazo de atribuição dos juros entre os dois produtos, na prática, a menor penalização de juros no Big apenas representa uma vantagem no caso em que haja mobilização antecipada durante o 1º semestre de algum dos anos).
Qual escolher? Se for cliente de algum destes bancos sirva-se do produto do seu banco, se não for compare com a oferta do seu, mas é provável que surja a tentação de mudar na maioria dos casos pois tratam-se de ofertas competitivas neste momento.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Banco Popular: Depósito Ouro Plus 12 meses uma opção muito interessante

O Banco Popular alterou significativamente (para melhor) as condições de remuneração do seu depósito a prazo a 12 meses "Ouro Plus". Tal foi a mudança que parece que andaram a vender lebre por gato durante algum tempo dando sinais contraditórios na sua página como descobriu o Economia & Finanças na semana passada: "Banco Popular: 3 taxas de juro diferentes para o mesmo depósito?!". Mas a situação parece estar resolvida pois acedendo hoje a sua página promocional tudo é coerente com a ficha de informação normalizada. Vamos ao que interessa. Trata-se de um depósito a 12 meses, destinado exclusivamente a novos recursos (dinheiro ainda não aplicado no banco até ao momento), é mobilizável a qualquer momento, perdendo-se 1% do capital mobilizado sendo no máximo um valor igual à totalidade dos juros vencidos. O mínimo de subscrição é de 300€ (até 500 mil €) e o retorno é de 10% no 1ª mês e de 2,3% nos restantes perfazendo uma TANB média de 2,94%. Até ao momento é o melhor depósito que encontrei a 12 meses em termos de remuneração. Como disse, uma opção muito interessante.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Caixa Galícia com uma das melhores ofertas para "Novos Recursos" a 6 meses

Há várias "castas" de depósitos a prazo. Os depósitos a prazo tradicionais que se podem efectuar ao balcão, os depósitos a prazo online que só se podem realizar via internet, os depósitos a prazo promocionais para novos clientes (versão tradicional e online), os depósitos a prazo para "novos recursos"...
Esta última modalidade permite oferecer uma taxa diferenciada sem melindrar os clientes fieis ao banco. Ou seja, geralmente apresentada como chamariz para atrair novos clientes é uma oferta também disponibilizada aos já clientes desde que aplicada a dinehrio novo que entre no banco, os tais novos recursos. De momento no mercado a Caixa Galícia com o Depósito Especial ON é uma das melhores ofertas a 6 meses, remunerando a uma TANB de 2,5% para montantes desde os 2500€ até os 50000€ renovável às condições em vigor na maturidade.
O esquema de penalização para mobilização antecipada tem vários escalões.
Graças à novidade da ficha de informação normalizada sobre o Depósito Especial ON (clicar aqui) torna-se agora mais fácil comparar depósitos por isso apesar de vir no fuuuuundo da página da Caixa Galícia sobre este depósito recomenda-se vivamente instalar o hábito de dar uma espreitadela.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Banif@ast - próximo mas menos interessante; Finibanco para contas com 6 dígitos

Encerrei o último artigo com a deixa de ir verificar se após o interessante Depósito Rendimento do Big Online (2,75% a dois anos com pagamento semestral de juros) os até aqui habituais campeões dos melhores juros Banco Popular, Banif e Finibanco mantinha dianteira. E a conclusão a que chego é que lidas as condições de subscrição dos respectivos depósitos e lidas as letras miudinhas, haverá muitos aforradores para os quais o Big parecerá claramente superior.
Por um lado, o Big não apresenta o depósito como promocional, pelo menos não exige que se seja novo cliente ou que se estejam a canalizar para o banco novos capitais. Por outro lado, o valor mínimo de subscrição é de 2500 euros o que não sendo referencial é claramente inferior aos mínimos exigidos por outros bancos para se poderem aceder a taxas de juros competitivas com as oferecidas pelo Big.
Finalmente, o Banif@ast que permite aforro a partir de 500e remunera um pontos abaixo. Por exemplo, um depósitos 6 meses (que compararia com os 2% de TANB do Big) fica-se pelos 1,6% e no depósito a 12 meses o diferencial não melhora. O mesmo se pode dizer do Netprazo do Banco Popular cujo prémio em cima da euribor não é suficiente para se aproximar da oferta do Big. Se tem mais de 100 mil €, bom então nesse caso vale a pena passar pelo Finibanco pois acima destes capitais remunera a 2,2% (2,4% acima dos 150 mil euros - TANB).

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Depósito Rendimento do Big Online 2,75%, dois anos, juros semestrais

Só o Big Online para me fazer voltar aqui :-)
Desta vez não faço promessas de regressar em força. Vê-se no que têm dado mas para já fica uma referência a um depósito bancário que me parece muito interessante e que faz sentido aqui destacar. Curto e grosso: um depósito a prazo a 2 anos que remunera 2,75% brutos.
Mínimo de subscrição de 2500 euros, taxa de juro progressiva com pagamento de juros semestral (2%, 2,25%, 2,75% e 4%, respectivamente, em cada trimestre) e mobilização sem penalizações possível no dia de vencimento semestral. Mesmo as letras miudinhas não são más de todo: quem levantar noutra data perde 75% dos juros ainda não vencidos.
Tenho tido dificuldade em encontrar outros depósitos não promocionais sejam eles a 6 meses, a 1 ano ou a 2 anos que consigam competir com este.
Há pouquíssima oferta a render 2% brutos a seis meses. Mais detalhes sobre este Depósito Rendimento aqui.
Entretanto vou procurar no portal do vizinho Economia & Finanças a ver se encontro algo melhor. Vamos ver se o Banco Popular, o Finibanco e o Banif continuam a dar cartas nesta área. Mas já não me lembro bem das suas letras miudinhas.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Melhores taxas de juro: Big Online10 meses depois

Dez meses fazem muita diferença. O BIG online voltou a pagar prémios que acrescem à euribor que usa como referência para remunerar os seus depósitos a prazo.
Os bancos vão fazendo a sua gestão de activos, os clientes mais dinâmicos que tratem de se ajustar em busca das melhores ofertas. Bons negócios!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

sábado, 18 de outubro de 2008

Seguramente uma das melhores taxas do momento: Super Depósito Banif@st do Banif

Na semana em que o Estado aumentou a limite garantido pelo Fundo Garantia de Depósitos de 25 000€ para 100 000€ (por cliente em cada banco), talvez o receio de deixar as suas poupanças num banco esteja finalmente mais diluído.
Se tem dinheiro para investir no depósito a prazo e está disposto a subscrever um serviço de banco online, o Banif tem neste momento uma das melhores ofertas. Particularmente se tiver pelo menos 2 500€ disponíveis. O Super Depósito oferece depósitos com maturidades desde os 45 até aos 365 dias e juros dos 5,5% aos 6,0% respectivamente (Taxa Anual Nominal Bruta - TANB). A taxa anualizada mais elevada é a que remunera um depósito a 120 dias: 6,75% (TANB).
Pessoalmente, atendendo ao ciclo de queda de taxas de juro interbancárias (Euribor, Libor) iniciado com o aval aos empréstimos bancários prestado de forma concertada pelos Estados das principais economias mundiais, recomendaria aproveitar a oferta nos prazos mais longos de modo a captar ainda o desfasamento entre a evolução da Euribor e as taxas de juro passivas a que alguns bancos ainda estão a remunerar os seus depositantes.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Caça aos depósitos leva taxas de juro passivas a superarem a Euribor: o exemplo do BPN

Retomando a senda pelo melhor depósito a prazo no mercado e seguindo as dicas de alguns comentadores, voltamos a abordar a oferta do BPN. Correntemente, destaca-se o depósito a prazo não promocional designado "DP Interactivo" que atinge a remuneração máxima de 6,0% brutos (4,8% líquidos de IRS) para os prazos acima de 91 dias e até 365. Note-se que a aplicação pode fazer-se a partir de 500€ para prazos até aos 181, exigindo-se um montante mínimo de 10 000€ para constituir um depósito a prazo a 365 com igual remuneração. Estas aplicações estão limitadas a 50 000€. Este produto é exclusivo para clientes que estejam inscritos e utilizem a plataforma internet do BPN.
Para capital novo na instituição é ainda possível contratar um "Depósito Exclusive" que remunera a partir de 6,5% brutos (5,2% líquidos de IRS) para montantes acima dos 100 000€.
Note-se que o BPN será um banco com um factor de risco acrescido, estando sobre apertada vigilância do Banco de Portugal e em pleno processo de reorganização. Em todo o caso, num cenário de agravamento da situação recordo que todos os depósitos se encontram garantidos pelo Fundo Garantia de Depósito até um montante de 25 000€.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Big Online oferece euribor menos 0,125 pontos em depósitos a seis meses (corrigido)

Se calhar já lhe passou pela cabeça colocar o dinheiro no colchão, hum?
Com tanto banco de credibilidade duvidosa e com tanta gente a falar em falências e em efeitos dominó... Então e a criminalidade, os assaltos a lojas e a lares? O risco está em todo o lado.
Se quer ter uma atitude prudente e afastar-se ao máximo do risco sem ter de recorrer a bolas de naftalina para evitar que a traça do colchão lhe coma o dinheiro, o melhor mesmo e escolher o mais simples e básico dos produtos de investimento que estão a remunerar acima da taxa de inflação: o depósito a prazo. E agradeça a conjuntura local que lhe permite (se for aforrador) arranjar com facilidade um depósito que remunera (um pouco) acima da taxa de inflação que é, imagine-se, a segunda mais baixa da zona euro (2,8%).
Onde colocar o dinheiro? É procurar. Hoje por exemplo, estive a actualizar informação sobre a oferta do Big Online. O depósito a seis meses para quem tem menos de 50.000€ para aplicar está a uma taxa, não promocional, interessante: euribor a seis meses menos um spread de 0,125%, ou seja, hoje por exemplo, está a remunerar 5,130% antes de imposto, ao ano (4,140% líquidos).
Para quem tem 50.000 € ou mais o Big Online oferece um simulador onde a taxa surge variável com o prazo contratado. Por exemplo, quem depositá-se hoje para levantar em Maio de 2009 (243 dias) seria remunerado a 5,330% antes de imposto, ao ano (4,264% líquidos).
Ainda há não muito tempo este banco praticava spreads bem mais altos penalizando as taxas de juro. Aliás, para prazos diferentes de seis meses os descontos à euribor praticados são mais elevados, atingindo o máximo nos depósitos a um mês onde subtraiem à euribor a um mês 0,75 pontos percentuais. Ainda assim, julgo que, fora depósitos promocionais, a oferta a seis meses aqui referenciada será bastante razoável. E, claro, já sabe, depósitos até 25.000€ estão garantidos pelo Banco de Portugal em caso de falência... algo que não se perspectiva, nem se conjectura quanto a esta insituição financeira, diga-se de passagem.

Alguém encontra outra oferta com ganhos mais do que marginais face a esta?
Continuemos as buscas.

P.S.: Outra característica favorável é a penalização dos juros em apenas 50% caso se proceda a um resgate antes do final do prazo.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

A cada cliente a sua taxa de juro

Se pensa que apenas nas taxas de juro activas - as que remuneram os empréstimos que os bancos fazem aos seus cleintes - há discriminação de taxas cliente a cliente via spreads desengane-se. Em muitos casos as tabelas de taxas de juro servem só para despistar a concorrência e os clientes menos esclarecidos/mais acomodados.
É precisamente um exemplo de discriminação de clientes na banca de retalho generalista que se apresenta no Economia & Finanças no artigo "Caixa Azul - segmentação de clientes versão CGD"
que aqui destaco e sugiro.
Um excerto:
"Esta não é contudo a melhor taxa disponível online na CGD para depósitos a 180 dias. Entre as várias consequências da segmentação de clientes praticada por este banco está um depósito de 500 a 10000 euros, oferecido a clientes rotulados de Caixa Azul que remunera presentemente cerca de 4,2% líquidos (Caixazul Netpr@zo com emissões quizenais).
O que é preciso para se ser cliente Caixa Azul? O segredo parece ser a alma deste negócio. Se não tiver crédito a habitação, nem tiver o rótulo referido, o melhor mesmo é deslocar-se ao balcão em busca de uma história melhor do que a contada pela tabela de taxas de juro acima referida. Isso ou procurar melhor oferta que a há por aí."

domingo, 3 de agosto de 2008

Os pseudo depósitos a prazo

Sem tempo para mais deixo aqui uma sugestão de leitura para quem anda em busca de informação sobre depósitos a prazo e aplicações de baixo risco. Trata-se de uma peça publicada no JOrnal de Negócios a 1 de Agosto de 2008 sob o título: "Produtos estruturados - Não se deixe enganar pela publicidade".

Um excerto em jeito de aperitivo:
" (...) "Valor duplo", "duplo investimento" ou "super rendimento" são apenas alguns exemplos de expressões fáceis de entrar ao ouvido e ainda mais de agarrar a atenção de quem, confrontado com a necessidade de fazer render o seu dinheiro, procura novas soluções de investimento. São também estes os nomes de três produtos estruturados que fazem parte da actual oferta da banca tradicional. Mas, ao contrário do que o nome indicia, nenhum deles tem uma fórmula mágica.

O "Valor duplo multi-opção", do Millennium bcp, é um dos melhores exemplos de como os produtos estruturados podem ser uma rasteira para o seu dinheiro. Constituído em 50% por um depósito com uma taxa de juro fixa de 5% brutos no primeiro ano, e com os outros 50% aplicados num entre dez fundos de investimento do próprio banco, incluindo Planos Poupança Reforma (PPR), este produto pode levá-lo a incorrer em perdas. Isto porque, assumindo um investimento inicial de 5.000 euros e considerando a rendibilidade em 12 meses (-9,04%) do fundo Millennium Moderado (um dos menos negativos do leque de opções), o investidor pode chegar ao final de um ano com um saldo de 4.874 euros. Um prejuízo de 226 euros. (...)"

sexta-feira, 14 de março de 2008

Caixa Aforro da CGD uma das melhores proposta do momento

Ponto prévio: abandonei a ideia de criar "A" lista dos melhores depósitos a prazo a cada momento. A opção será antes a de tentar escolher preferencialmente os produtos mais interessantes a cada momento e apresentar por aqui as suas características positivas e negativas.

Comecemos então por duas novidades, o Caixa Prémio e o Caixa Aforro da Caixa Geral de Depósitos. Neste primeiro de dois artigos centramo-nos no Caixa Aforro.

A CGD parece finalmente estar disposta a apresentar uma proposta interessante para a generalidade dos seus clientes e, particularmente interessante para quem por lá detem crédito à habitação. Diria mesmo que aproveitando a onda de descrédito via crescente desinteresse comercial dos certificados de aforro dinamizada pelo único accionista da CGD, esta apresenta um novo produto de aforro que pelas minhas contas supera ligeiramente a nova série dos Certificados de Aforro ultrapassando-os claramente no 4º e 5º ano.

Refiro-me ao Caixa Aforro que remunera depósitos com 80% da euribor a seis meses no primeiro ano (cerca de 3,65%), subindo progressivamente a taxa para 85% (cerca de 3,83%), 90% (cerca de 4,02%), 95% (cerca de 4,2%) e finalmente 105% (cerca de 4,56%) da euribor nos 2º, 3º, 4º e 5º e último ano deste produto.
Se, como disse, tiver crédito à habitação junto da CGD, os prémios duplicam traduzindo-se a remuneração final nos 90% (cerca de 4,02%), 100% (cerca de 4,38%), 110% (cerca de 4,75%) e 125% (cerca de 5,29%) da Euribor a 6 meses nos 2º, 3º, 4º e 5º e último ano deste produto. Neste último caso o produto da CGD fica seguramente entre as melhores aplicações de médio prazo disponíveis no mercado para o respectivo nível de risco. Note-se que as taxas de juro anuais apresentadas são aproximadas e sujeitas a oscilação em virtude de estarem indexadas à Euribor a seis meses.

Em termos de mobilização esta está isenta de penalização de for feita nos momentos de vencimento semestral de juros; com penalização total é possível a qualquer momento. Adicionalmente, disponibiliza-se a possibilidade de capitalizar os juros ou de os receber semestralmente, podendo o cliente alterar essa política a cada seis meses.
Na informação disponibilizada até ao momento não há referência quanto a montantes mínimos e máximos de subscrição.

Conclusão: ainda que não estejam disponibilizadas as recomendáveis fichas técnicas sobre este produto (não me atrevo a chamar ficha técnica à página de onde se retiraram os detalhes que nos levaram a este artigo), salvo erro grosseiro de enunciado ou de entendimento, este parece-me um produto interessante e competitivo. Seguramente entre os melhores disponibilizados e publicitados correntemente no mercado português para poupanças de médio prazo. Aliás, este não é o único promovido pela CGD a merecer atenção como veremos no próximo artigo sobre o Caixa Prémio.